Inovações no setor imobiliário para empreendimentos sustentáveis

O setor imobiliário terá uma visão cada vez mais focada nas estratégias ambientais, sociais e de governança (ESG) em 2021, de acordo com um novo relatório do Greenprint Center for Building Performance do Urban Land Institute (ULI).

Além disso, o ULI Sustainability Outlook 2021 também abordou questões do futuro que são específicas para o ESG no setor imobiliário. Ele foca em três questões-chave enviadas aos entrevistados: quais tópicos de sustentabilidade estão em alta, por que são importantes e o que a indústria deve fazer a respeito?

Com base nos dados divulgados pela ULI, levantamos 8 questões de sustentabilidade que a indústria enfrentará no futuro.

Veja a seguir as inovações no setor imobiliário!

O papel crescente do setor imobiliário no avanço da sustentabilidade em todo o mercado

O setor imobiliário atualmente contribui com quase 40% das emissões de carbono em todo o mundo e quase 70% das emissões em áreas urbanas.

A liderança do setor em priorizar o desenvolvimento sustentável e as práticas operacionais pode ajudar a informar as políticas sustentáveis ​​em todos os níveis de governo.

Aumento de interesse por investimentos ESG

O interesse por investimentos ESG (ambientais, sociais e de governança) continua a disparar, com ingressos recorde em meio à pandemia de COVID-19. As imobiliárias agora estão criando mais oportunidades para esses investidores alocarem seu capital.

Maior ênfase na saúde

A pandemia de COVID-19 aumentou a necessidade de um desenvolvimento que enfatize a saúde.

Certificações de saúde e bem-estar são cada vez mais procuradas para garantir aos ocupantes que seus espaços sejam seguros para ocupação. O uso da terra, o zoneamento e a localização de equipamentos públicos são essenciais para melhor distribuir o patrimônio.

Expectativa para a eficiência energética no setor imobiliário

A eficiência energética continua sendo uma prioridade e um recurso que se tornou importante para locadores, proprietários e incorporadores.

As novas tecnologias que tornam os edifícios mais saudáveis ​​e eficientes em termos de energia eliminarão a necessidade de comprometer uma meta para alcançar a outra – ambas são vistas em toda a indústria como elementos-chave da sustentabilidade.

Vários programas foram projetados para ajudar os inquilinos a economizar energia e reduzir os custos, enfatizando a importância da colaboração entre inquilinos, proprietários de edifícios e prestadores de serviços.

Reduções de emissões por meio do carbono incorporado em materiais de construção

A pegada de carbono do ambiente construído é tanto das operações de construção quanto dos materiais de construção – e reduzir as emissões de construção requer ênfase em ambos.

A menos que a indústria comece a abordar a necessidade de reduzir o carbono incorporado nos materiais de construção, até 2050 – levando-se em consideração todas as novas construções esperadas para os próximos 30 anos – as emissões do carbono incorporado serão iguais às das operações.

Resiliência e risco climático como uma prioridade para investimentos

Independentemente de seus ativos já terem sido diretamente afetados pelos impactos das mudanças climáticas, os investidores veem as considerações climáticas como uma camada necessária de responsabilidade fiduciária para suas partes interessadas e estão percebendo que construir para a resiliência climática, em uma propriedade, portfólio e em toda a cidade, é fundamental para se manter competitivo.

Informações sobre as restrições de política fiscal, investimento em infraestrutura crítica, reparo e substituição, e o nível de compromisso para melhorar a resiliência climática, são todos fatores-chave a serem considerados.

Água como um recurso a ser economizado e aproveitado

O preço da água está aumentando a uma taxa mais alta em comparação à inflação e mais rapidamente que outros serviços públicos, por conta dos custos de infraestrutura e por sua escassez.

Há uma consciência crescente em todos os setores, público e privado, da correlação entre economia de água e água potável; como resultado, economizar água é uma questão que merece atenção e investimento.

Redução de resíduos ao longo do ciclo de vida de um edifício

O crescente interesse na redução de resíduos resultou na criação de ferramentas de construção e certificações que são específicas para resíduos na construção, operações e demolição de edifícios.

Ao entregar edifícios mais flexíveis, adaptáveis ​​e sustentáveis, os ativos podem se tornar mais produtivos, mais ágeis e menos prejudiciais ao meio ambiente.

Mantenha-se informado sobre esse e outros assuntos do setor imobiliário em nossas redes sociais e aqui no site.

Artigos afins

Nenhum artigo relacionado